USDT TETHER: A PRECIOSA E CONCORRIDA STABLECOIN!

É bem provável que você já tenha ouvido falar do USDT, a stablecoin da Tether. Afinal, esse é o ativo blockchain mais negociado no mundo, superando ainda o movimento de mercado do bitcoin (BTC) desde 2020. 

Além disso, o USDT é utilizado como um grande monitorador da volatilidade do mercado. Só para exemplificar, quando as demais criptomoedas começam a buscar uma tendência de baixa, a capitalização da stablecoin dispara, pois os investidores precisam do mesmo para se proteger e ter capital para investir durante as correções. 

Por outro lado, quando o contrário ocorre e o mercado volta a subir, o USDT deixa de ser a preferência e seu valor de mercado passa a diminuir. Isso porque ele está sendo utilizado para a compra de ativos, mostrando maior segurança que os traders sentem ao negociar. 

Com toda essa importância, você precisa de uma vez por todas entender:

O que é e como funciona o USDT Tether

USDT ( sigla para USD Tether) é um token digital que foi desenvolvido na rede do Bitcoin (BTC). Sendo negociada do mesmo modo que a pioneira das criptomoedas é. Contudo, há uma diferença entre ambas. O Bitcoin possui a cotação baseada na lei da oferta e demanda. Por essa razão o preço do ativo digital tem uma grande volatilidade. Esse é um dos fatores que faz o BTC ser mais encarado como um ativo do que uma moeda propriamente dita.

Visualizando a volatilidade foi que surgiu o conceito de stablecoin, que seria uma criptomoeda estável, lastreada em um bem tangível ou menos volátil, como o dólar, por exemplo. Estreando esse conceito apareceu o USDT, que para cada unidade emitida é guardada 1 dólar em reserva na Tether Limited em Hong Kong.

O USDT é um stablecoin que foi criada para ser estável o suficiente em seu poder de compra ou, no máximo, ligeiramente inflacionário, a fim de incentivar os proprietários a gastar em vez de manter os tokens.

De maneira simples, podemos definir o USDT como uma criptomoeda baseada em uma plataforma de tecnologia blockchain na qual as moedas digitais em circulação são lastreadas em uma quantidade equivalente de moedas fiduciárias tradicionais – o dólar, o euro ou o real brasileiro – que são mantidos em uma conta bancária designada. 

No universo das criptomoedas, atualmente as flutuações diárias são muito amplificadas, tornando-as quase que impraticáveis para o uso convencional, como meio de troca, por exemplo. Embora a volatilidade estimule o uso de uma criptomoeda como um ativo especulativo, acaba por limitar seu uso diário no varejo como meio de pagamento.

Para resolver isso, a Tether publica, desde o início de 2021, um atestado trimestral discriminando suas reservas por classes de ativos em seu site. Esse valor é alterado todos os dias. Isso porque as reservas de USDT não estão apenas em dólar americano. 

Dinheiro, equivalentes de caixa (fundos do mercado monetário, letras do Tesouro dos EUA), papel comercial, títulos corporativos, empréstimos e investimentos compõem o processo de paridade do USDT.  

Quando o USDT Tether foi criado?

O USDT Tether foi criado em julho de 2014 como a primeira stablecoin blockchain por Brock Pierce, através da startup dos Estados Unidos com o nome de Realcoin. Todavia, em novembro daquele mesmo ano a moeda foi renomeada passando a se chamar Tether.

Esse nome foi dado por Reeve Collins, CEO da companhia, sendo que suas operações foram transferidas para a empresa Tether Limited em Hong Kong. Dessa forma, a Tether passou a ser a responsável em aceitar os depósitos das moedas fiduciárias de seus usuários e emitir o valor correspondente em  Tethers, além da queima de tokens para ajustar a oferta de moedas à demanda do usuário.

Em 2015, o mercado pode negociar USDT pela primeira vez na exchange de criptomoedas Bitfinex. É importante apontar que o protocolo Tether está ligado à exchange mencionada, pois compartilha a mesma empresa-mãe, iFinex Inc., fundada em 2012 em Hong Kong.

O funcionamento da stablecoin é basicamente igual ao dos demais criptoativos, permitindo que pagamentos sejam feitos todos online de forma direta e sem passar por uma instituição financeira. Tudo isso graças à criptografia do blockchain.

Contudo, ela se difere por ser um token que precisa do blockchain de terceiros para existir. Ou seja, não tem uma rede própria, assim como bitcoin, Ethereum (ETH) e Cardano (ADA).  

A equipe por trás da Tether decidiu que inicialmente ela seria desenvolvida no blockchain Omni Layer Protocol, rede que pertence à criptomoeda primária. 

Em suma, a Omni (anteriormente chamada de Mastercoin) é uma plataforma para criação e negociação de ativos e criptomoedas personalizadas. A rede oferece transações de Bitcoin que permitem recursos de próxima geração no blockchain da principal criptomoeda. 

Antes de prosseguirmos, vamos trazer uma curiosidade sobre a emissora de stablecoin Tether. Ao observar todo o sucesso do USDT, a empresa decidiu avançar e lançar mais ativos menos voláteis. No momento da escrita do artigo, a Tether já trabalha com quatro stablecoins, além do USDT: 

  • Tether gold (AUXT): atrelado ao preço do ouro 
  • Tether euro (EURT): atrelado à moeda comum da União Europeia 
  • Tether peso (MXNT): atrelado ao peso mexicano 
  • Tether yuan (CNHT): atrelado ao yuan chinês offshore

Vantagem do uso do USDT

Diante de um mercado de preços volátil, um vendedor pode e deverá ficar cético ao negociar bens e serviços por medo de perder valor devido à alta modificação diária de preços. E neste sentido aparece a grande vantagem do uso do USDT, vantagem essa que as moedas tradicionais não oferecem.

Por ser uma moeda estável, o USDT possui valor na conversão para moedas fiduciarias, o que acaba por facilitar operações de pagamentos. A stablecoin da Tether é a mais popular do mundo e atua como uma substituta do dólar em exchanges internacionais. 

Ademais, possuir uma stablecoin com lastro em dólares facilita – e muito!– para as corretoras de criptomoedas, de modo que não precisam utilizar o sistema bancário tradicional para acertar ajustes entre contas internas, além de fazer isso de forma mais rápida, transparente e auditável do ponto de vista interno da empresa.

Outro grande destaque do ativo estável da Tether é que ele está nas principais redes do mercado blockchain. 

Com o passar do tempo, a Tether viu que não era vantajoso para o USDT e usuários da stablecoin utilizar apenas a rede do bitcoin. Afinal, a rede do BTC apresenta grandes problemas de escalabilidade, impossibilitando a transferência rápida de valores, um dos ideias desejados pela emissora de stablecoins.

Sendo assim, decidiu dar um passo a mais e colocar a stablecoin na rede Ethereum em 2020. Inicialmente, a ideia se mostrou excelente. Contudo, com o avanço da utilização, tanto do ETH, como do próprio USDT, as transações passaram a mostrar problemas maiores de escalabilidade vistos no bitcoin. 

Com integrações em redes como TRON, EOS, Algorand, Solana, OMG Network e Bitcoin Cash, o USDT consegue oferecer para seus usuários taxas mais baixas e transações mais rápidas, para negociações do dia a dia. 

Não podemos deixar de mencionar que o USDT trouxe uma forma simples e rápida de dolarizar o investimento e até a reserva de valor de muitos investidores que tinham dificuldade com o sistema financeiro tradicional. 

Diferença entre USDT e USD

Justamente por ser o Tether uma moeda digital substitutiva ao dólar americano é que pode acontecer uma confusão de siglas: a sigla USDT equivale ao token divisível e estável criado pela empresa Tether que é atrelado ao dólar americano, de sigla USD. Tal ligação apenas demonstra que 1 token Tether corresponde a um dólar americano.

A moeda mais importante do sistema de criptomoedas

Mesmo que seja difícil mensurar números concretos sobre o volume de negociações, dados apontam que o USDT é considerada a moeda digital estável mais relevante disponível e procurada pelos traders, pois oferece aos mesmos a capacidade de aproveitar as oportunidades de arbitragem no menor tempo possível.

Dados da CoinmarketCap.com já apontaram o Tether como a criptomoeda com o maior volume diário e mensal de negociações. 

Até mesmo no Brasil o USDT tem sido um dos ativos mais procurados e visto como uma ponte para a proteção de patrimônio frente ao real brasileiro, oferecendo liquidez inigualável e jamais vista antes da entrada da stablecoin no meio blockchain. 

De acordo com a CoinMetrics,  a stablecoin tem sido usada de forma massiva pelos traders para suas operações, especialmente em mercados como asiáticos e europeus. Para a CoinMetrics, todas as stablecoins em geral estão apresentando números de adoção relevantes no mercado de criptoativos.

E como comprar o USDT Tether?

O Tether, assim como o Bitcoin, pode ser armazenado em carteiras digitais ou em exchanges que fazem a sua comercialização. Todavia, diferente do Bitcoin que tem sua emissão feita através da mineração, o USDT só pode ser emitido pela Tether Limited em Hong Kong.

A forma mais fácil para o investidor iniciante e médio adquirir a stablecoin é através de uma exchange de criptomoedas. Dentre as principais exchanges que comercializam o USDT está a BitcoinToYou. E por ser uma das pioneiras na área é uma empresa altamente segura para você comprar e vender a criptomoeda. Então não perca mais tempo e comece hoje mesmo a investir em USDT!

Photo of author

Autor: andre.horta

Deixe um comentário

Não perca tempo! Comece a investir

REDES SOCIAIS

[email protected]

Atendimento: 08:00-18:00 (seg-sex)