Google proibiu apps de mineradoras na Play Store – mas nem tanto

Google proibiu apps de mineradoras na Play Store – mas nem tanto

Google proibiu apps de mineradoras na Play Store – mas nem tanto

A Google anunciou no mês de julho que aplicativos de mineração presentes na Play Store, loja para obtenção de aplicativos para smartphones com sistema operacional Android, deveriam ser retirados da plataforma.

O motivo seriam os riscos que a mineração traz para os usuários. De acordo com a Google, por trás do seu funcionamento normal, os aplicativos utilizavam os processadores dos gadgets móveis para coletar criptomoedas para terceiros – muitas vezes sem o consentimento do dono do aparelho -, o que pode ser considerado uma atividade irregular. Apps que servem como uma “carteira digital” para criptomoedas ou de corretoras ainda podem ser instalados normalmente.

Todos os desenvolvedores teriam 30 dias para retirar os aplicativos do ar, ou remover a prática irregular desses. Passado o tempo estipulado, parece que pouca coisa mudou.

O portal The Next Web publicou em um artigo que oito aplicativos foram detectados como ilícitos. No entanto, apenas quatro saíram do ar e um modificou suas normas para se adequar às políticas do Google. Caso você procure os restantes, eles ainda estão lá para poderem ser baixados.

Anterior a isso, em abril, a empresa já tinha proibido a criptomineração em extensões do navegador Chrome. Como a Google não se manifestou oficialmente sobre o assunto, as dúvidas que ficam são: “eles estão deixando passar?” ou “é um erro do sistema?”.