Em 2023, China será o maior produtor de criptomoedas; dizem executivos

Em 2023, China será o maior produtor de criptomoedas; dizem executivos

Em 2023, China será o maior produtor de criptomoedas; dizem executivos

Apesar das medidas pesadas do governo chinês para tentar controlar as criptomoedas que circulam pelo país, tornando-as não descentralizadas, executivos acreditam que, depois de 2023, o país se tornará a “superpotência da blockchain”.

Chegou-se a esse resultado após pesquisa realizada pela auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC), que perguntou a 600 executivos de todo o mundo a seguinte questão: qual é o atual e qual será o país líder de desenvolvimento de blockchain no mundo?

Quem aparece no topo atualmente é o país do tio Sam, os Estados Unidos, com 29%; seguido da China, com 18%; Austrália, com 7%; Japão, 6%; e Índia, Reino Unidos, Dinamarca E Hong Kong, todas com 5%.

Projetando esse mercado para daqui a cinco anos, esses números sofrem alteração. A China aparece em primeiro lugar, com 30%; enquanto os EUA desce para 18%. Austrália e Índia sobem 1%; Japão e Reino Unidos descem, respectivamente, 2% e 3%. Hong Kong e Dinamarca permanecem com 5%.

Acreditar tanto na China não parece ser uma surpresa. Atualmente, a nação está colocando em prática um plano para expandir seu poder ao redor do mundo, comprando pedaços de terras em, inicialmente, países mais pobres da Ásia e da África. Segundo estimativas é esperado que até 2030, a China seja a maior potência econômica do mundo.