Vagas de emprego com criptomoedas e blockchain crescem 118% em 10 meses

VAGAS DE EMPREGO COM CRIPTOMOEDAS E BLOCKCHAIN CRESCEM 118% EM 10 MESES

Vagas de emprego com criptomoedas e blockchain crescem 118% em 10 meses

Um relatório recente aponta que a crescente adoção institucional tem impulsionado a criação de vagas de trabalho no mercado de criptomoedas.

O documento foi publicado pelo portal Indeed, mencionado no jornal sul coreano Korea IT Times, e revela que de setembro de 2020 até julho de de 2021, as vagas de emprego no ecossistema de criptomoedas cresceram 118%.

O ramo que mais cresceu foi em especialistas em recursos humanos, com um salto de 200%. Os cargos de gerência também demonstraram crescimento, com 29,87% mais vagas entre 2020 e 2021.

Mercado em expansão e oportunidades

Além do crescimento no número de vagas, o relatório mostra ainda que os empregos envolvendo blockchain pagam melhor. O motivo, segundo o Korea IT Times, é que o ramo exige conhecimento de criptografia e economia.

Nesse sentido, o relatório ainda aponta que, embora os esforços educacionais tenham crescido, a maior parte dos programadores da área ainda são autodidatas.

O ramo de blockchain, por preferir usuários remotos, também permite que desenvolvedores e pesquisadores interajam com parceiros e empregadores em diferentes projetos. Ou seja, ao deixar de exigir a presença física, o setor de blockchain e criptomoedas abre mais espaço para que a mão de obra especializada trabalhe em diferentes projetos.

Contudo, o relatório não especifica quantas entidades nos setores público e privado estão buscando mão de obra.

O Cointelegraph ressaltou que a busca de entidades governamentais por especialistas em blockchain tem crescido. A agência de inteligência israelense, o Mossad, e o Banco da Inglaterra já abriram vagas para especialistas do ramo de criptomoedas.

No ramo privado, a área de criptomoedas da Fidelity pretende aumentar sua força de trabalho em 70%. Além disso, JPMorgan e Amazon começaram a aceitar propostas de profissionais especializados em moedas digitais.

No caso da gigante do varejo, a procura por alguém da área de criptomoedas levantou a crença de que a Amazon pode aceitar Bitcoin como forma de pagamento a partir de 2022.

Entretanto, trata-se apenas de um rumor, sem nenhuma evidência que comprove o envolvimento da empresa de Jeff Bezos com o BTC.