Digital Renminbi – a criptomoeda chinesa

Digital Renminbi – a criptomoeda chinesa

Em 2017 especialistas previram que a China acabaria por criar sua própria criptomoeda, centralizando uma tecnologia que tem como característica principal a liberdade e descentralização –  inerentes ao bitcoin.

Em setembro de 2017 a China proibiu o uso de bitcoins no país, chegando até a impedir sua mineração, afirmando que a atividade pertubava a ordem econômica e financeira do país. 

A grande notícia foi anunciada no final de abril do ano corrente, pelo Banco do Povo da China (BPC), que funciona como o Banco Central deles.

Deste modo, anunciaram o “Digital Renminbi” como uma criptomoeda soberana. Tal moeda funcionará como o bitcoin, só que de forma centralizada e com lastro em dinheiro de verdade, emitido pelo BPC.

O anúncio representa um golpe fatal no dinheiro de papel, que já circula em volume muito pequeno no país, pois a China é o maior mercado de mobile payment do mundo, razão pela qual a maior parte das operações financeiras do dia-a-dia está concentrada em serviços como AliPay e Wechat.

O Banco do Povo informou através de comunicado oficial que será o único emissor do “renminbi digital” e oferecerá inicialmente a moeda virtual para bancos comerciais ou outros operadores financeiros.

Assim, por ser lastreada pelo Banco do Povo, terá valor tão estável quanto dinheiro em espécie.

Deste modo, os agentes do sistema econômico podem optar por transferir o dinheiro da conta bancária de seus correntistas para uma versão digital e depositar tais recursos em “carteiras eletrônicas”.

Cumpre ressaltar que a princípio, em um curto prazo, a moeda digital do Banco do Povo não será emitida em grandes quantidades para o público a fim de que a velocidade do dinheiro em circulação não seja influenciada e, sobretudo, não acabe por ocasionar o aumento da inflação.

Portanto, uma das maneiras para se evitar a emissão excessiva de dinheiro é aconselhar as instituições comerciais a reservarem provisões equivalentes as suas participações em dinheiro digital.

Inovações do Renminbi

De acordo com o BPC atualmente a circulação da nova moeda estará restrita as cidades de Shenzhen, Suzhou e Chengdu, além da província de Hubei, epicentro original da crise de covid.

Uma das vantagens do criptodinheiro chinês e que merece destaque e que ele poderá ser transferido de um smartphone pra outro por proximidade, sem necessidade de que nenhum dos aparelhos esteja conectado à internet no momento da operação.

Tal método é distinto do que ocorre hoje no Alipay e  WeChat, já que ambos exigem conexão com a internet para efetuar transações.

Esta inovação foi pensada com o objetivo precípuo de popularizar o uso da moeda digital, através de uma tecnologia que seja tão simples que permita o acesso do maior número de pessoas possível, inclusive aquelas que não possuam internet ativa.

Na prática, representa um golpe fatal no dinheiro de papel.

Digital Renminbi como medida de enfrentamento  ao Covid-19

O contágio viral por meio de dinheiro físico é uma preocupação mundial atualmente. Pois, como se sabe, o coronavírus pode resistir por horas em superfícies duras, e a probabilidade de transmissão via dinheiro físico é alta, já que notas de papel e moedas são frequentemente tocados.

Bancos centrais de diversos países estudam formas de garantir segurança em relação ao manuseio do dinheiro e o Banco de Compensações Internacionais (BIS) vem fazendo recomendações a respeito das criptomoedas.

O BIS é uma organização conhecida como o “banco central dos bancos centrais”.

Neste sentido, Raphael Auer, economista do Departamento Monetário e Econômico do BIS aponta  para a hipótese de adoção pelos países ocidentais do modelo experimentado na China, pois para ele “a pandemia destacou o valor de ter acesso a diversos meios de pagamento e a necessidade de qualquer meio de pagamento ser resiliente contra uma ampla gama de ameaças”.

Isto porque mesmo com a situação controlada no país que já foi o epicentro do Covid-19 as medidas de prevenção a disseminações do novo coronavírus ainda ficarão em vigor por um longo tempo no país e no mundo.

Portanto, o governo chinês pretende com o digital renminbi evitar o contato físico no comércio, além de reduzir a circulação de notas e moedas, já que a critpomoeda permitirá transações pelo smartphone via aproximação, dispensando inclusive a conexão com a internet.

Vale ressaltar que em meio a desaceleração econômica provocada pela pandemia práticas digitais como o pagamento via dispositivos móveis que dispensa a relação física para uma transação, ganham cada vez mais relevância.

Neste contexto, os bitcoins também têm registrado crescimento consistente e forte valorização no mercado.

Deste modo, o digital renminbi como criptomoeda estatal da China também representa uma alternativa para o país injetar liquidez e retomar seu crescimento econômico.

Alguns funcionários do governo já estão recebendo seus salários na moeda digital soberana desde o mês de maio, e devem ser expandidos para Xiong’an, no sul de Pequim, que sediará os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

O que dizem os especialistas sobre o Digital Renminbi

Mesmo com a crise global na saúde e na economia em decorrência do novo coronavírus a China deu um grande passo ao lançar o digital renminbi, que o governo já planejava desde 2014.

O Banco Popular da China revelou que sua criptomoeda pretende ser uma alternativa mundial ao dólar como meio de pagamento.

Os especialistas afirmam que a China está um passo à frente dos EUA ao introduzir estes sistemas mais avançados, de uma CBDC (moeda digital emitida por um banco central).

O digital renminbi pode levar a uma concorrência aberta entre moedas, afetando a demanda por dólares em todo o mundo e, por consequência diminuir o poderio dos EUA.

No âmbito do mercado internacional as economias que possuem alta integração com a China, como por exemplo o Brasil, podem começar a utilizar a moeda para as transações internacionais.

Noutro ponto, com a consolidação da moeda digital da China para esses fins, moedas dependentes do valor do dólar, como o peso mexicano, podem ser afetadas, sofrendo uma desvalorização à longo prazo

A expectativa é que a criptomoeda estatal seja lançada nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

Novidades como esta atraem cada vez mais interessados no universo das criptomoedas!