Giro econômico da Semana – Análise do Boletim Focus (17/02)

Giro econômico da Semana – Análise do Boletim Focus (17/02)

Na tarde desta quarta-feira (17/02), o Banco Central divulgou mais um Boletim Focus com expectativas econômicas para 2021.

O que chamou a atenção no relatório desta semana foi o aumento na expectativa para a Taxa Selic que saltou de 3,5% para 3,75%.

Além disso, foi possível observar que os analistas estão mais céticos em relação ao crescimento do PIB. Por isso, diminuíram as projeções de 3,47% para 3,43%.

Já a expectativa para a inflação continua subindo. O IPCA que há quatro semanas estava sendo projetado em 3,43%, agora é projetado em 3,62%.

Quer saber mais sobre as projeções do mercado? Confira a nossa análise do Boletim Focus publicado nesta quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.

Crescimento do PIB

A projeção para o crescimento do PIB continuou piorando nesta semana. Na semana passada, ela já havia caído de 3,50% para 3,47%. Agora o mercado acredita que o crescimento será de 3,43% neste ano.

Essa leve piora mostra que o mercado ainda está bastante cauteloso em relação ao futuro da economia brasileira. Afinal, não se sabe ao certo se a vacinação em massa conseguirá ser feita até o final do ano.

Sendo assim, ainda é cedo para afirmar se teremos realmente um crescimento em V, ou se esse aumento será um pouco mais lento que o esperado.

Inflação

Em relação à inflação, o cenário segue bastante incerto. Por isso, tanto as projeções para o IPCA quanto para o IGP-M, pioraram nesta semana.

No último relatório, o IPCA estava previsto em terminar o ano em 3,60%, e agora a previsão é que o indicador irá terminar 2021 em 3,62%. Apesar de ser uma leve piora, ao comparar com 4 semanas atrás a projeção saltou de 3,43% para 3,62%.

Já em relação ao IGP-M, a projeção piorou ainda mais. Afinal, há 4 semanas atrás a expectativa era que o indicador fosse fechar o ano em 4,94%.

Agora, por conta da alta no câmbio nas últimas semanas, o mercado reviu suas projeções e acredita que o indicador irá virar 2021 em 6,97%. Um dos motivos que faz a projeção do IPCA ser diferente do IGP-M é a metodologia usada.

Pois, enquanto o IPCA considera nove categorias de produtos e serviços que refletem o hábito de consumo de 90% das famílias brasileiras, o IGP-M considera uma média aritmética de três índices:

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Assim sendo, quando ocorre uma desvalorização do real, muitas commodities que são cotadas em dólar sobem, impactando o IGP-M diretamente.

Taxa de juros e Taxa de Câmbio

O mercado reviu para cima as projeções da Taxa Selic nesta semana, e agora segue acreditando que ela irá virar o ano em 3,75%.

Isso mostra, que os especialistas seguem acreditando que o Copom deverá elevar a taxa de juros para tentar conter a pressão inflacionária.

Há um certo consenso de que no longo prazo a taxa selic irá subir gradualmente sendo que para 2024 as projeções são de 6% para ela.

Em relação a Taxa de Câmbio, as projeções seguem estáveis, com o mercado acreditando que o dólar irá virar o ano cotado em R$ 5,01.

Entretanto, ainda é muito cedo para apontar um caminho sólido para o câmbio, afinal, neste começo de ano ele está girando em torno de R$ 5,40.

Produção Industrial

Um dos destaques dessa semana vai para a projeção da indústria. Os especialistas melhoraram a expectativa, e agora acreditam que a produção industrial irá crescer 5,18% em 2021. Essa é a melhor projeção anual para o indicador.

Na semana passada, as projeções de crescimento industrial haviam caído para 5,00%. Contudo, apesar do otimismo, esse é um cenário incerto, visto que algumas regiões do país estão enfrentando severas quarentenas para conter a proliferação do Covid-19.

Já as projeções dos investimentos diretos feitos no país se mantiveram estáveis. Nesse sentido, o mercado acredita que eles fecharão o ano em US$ 60 bilhões.

Bitcoin e criptomoedas

Na semana passada falamos que era um novo momento para a compra de Bitcoin, e o cripto ativo saltou da casa dos R$ 180 mil para R$ 270 mil.

O mercado ainda segue otimista em relação à criptomoeda enxergando nela uma boa opção de investimento, visto que a taxa de juros nos EUA está muito próxima de zero.

Desse modo, o momento ainda continua bom para a compra, uma vez que o Bitcoin não encontrou nenhuma zona de resistência nesse seu crescimento.

Esse foi o nosso giro econômico da semana trazendo expectativas sobre investimentos e cenários futuros. Fique ligado que semana que vem tem mais.