ETF: entenda o que é e como está seu trâmite do mundo das criptomoedas

ETF: entenda o que é e como está seu trâmite do mundo das criptomoedas

O exchange-traded fund – ETF – está em trâmite na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (na sigla em inglês, SEC) para saber se será aprovado ou não. Mas afinal, o que pretende o ETF?

Um ETF pode ser entendido como um fundo de investimento negociado na Bolsa de Valores que detém ativos, como ações e títulos, que opera com um mecanismo de arbitragem. Isso resulta em negociações próximas dos valores líquidos desses ativos.

No mundo das criptomoedas, a proposta foi apresenta, inicialmente, em setembro de 2017 pela Bats BZX Exchange. O ETF de Bitcoin da ProShares e o ETF de Short Bitcoin, também da ProShares, propõe que contratos futuros de Bitcoin ocorram sem a presença do Bitcoin em si. Ou seja, o valor estabelecido do ETF será determinado apenas pelos futuros contratos de Bitcoin negociados com as exchanges CME ou CBOF, de acordo com o registro oficial.

No mesmo mês, os investidores observaram que o mercado ainda era muito jovem e falhas básicas, como quebra de acordos, poderiam ocorrer. Na época, mais precisamente em dezembro, a proposta foi rejeitada. A Bats BZX Exchange decidiu, então, entrar com um recurso, o qual foi aceito pelos comissários da SEC.

Nessa nova tentativa, algumas propostas de mudanças de regras foram pedidas para serem retiradas, como é o caso dos ETFs de Bitcoin e de Shorte Bitcoin da ProShares. A decisão dessa retirada também está nas mãos do SEC – que também informou a consideração de propostas futuras.

Agora é papel do SEC aprovar ou desaprovar, outra vez, esses pares de ETF.