Rede nacional de blockchain chinesa? Entenda um pouco mais!

Rede nacional de blockchain chinesa? Entenda um pouco mais!

Que o blockchain é uma tecnologia que vem ganhando cada vez mais espaço, isso é inegável, mas a surpresa agora ficou por conta da China.

Recentemente o governo chinês declarou que a Blockchain Service Network (BSN) entrará em operação em abril de 2020. Essa é a rede nacional de blockchain chinesa, que surge como uma verdadeira inovação no setor.

A plataforma tem por finalidade acelerar a adoção de tecnologias descentralizadas. Além do mais, espera-se que haja uma redução significativa nas barreiras de entrada de pequenas empresas no setor.

Desse modo, haverá um ambiente bem mais favorável ao desenvolvimento de aplicativos que tem por base a tecnologia blockchain.

Anúncio da rede nacional de blockchain chinesa veio acompanhado de entusiasmo

O site de notícias Decrypt foi quem reportou o anúncio no último dia 07 de Janeiro. Segundo o site, para que os objetivos sejam alcançados, a iniciativa irá contar com apoio de grandes corporações, como a China Mobile, China UnionPay, China Merchants Bank, entre outros.

Os testes da BSN começaram em outubro de 2019 sendo que o seu lançamento oficial está previsto para abril deste ano.

O relatório divulgado pelo Centro de Pesquisa sobre Desenvolvimento de Cidades Inteligentes do Centro Nacional de Informações Tang Sisi,indicou 400 empresas e 6.600 desenvolvedores entre os participantes da rede nacional.

Está gostando dessa matéria? Então leia também – Fintech: BC irá lançar sistema instantâneo de meios de pagamento!

Haverá cadeias com e sem permissão

Ainda segundo o relatório, haverá no BSN cadeias sem permissão, que serão destinadas ao público geral bem como cadeias com permissão.

Essa última será dividida em cadeias de aliança e cadeias privada, sendo elas destinadas a empresas e outras grandes corporações.

No caso das cadeias sem permissão será fornecido para as pequenas empresas uma forma de reduzir custos, associada à execução de aplicativos blockchain. Nesse sentido, o BSN oferecerá custos de servidor para aplicativos descentralizados.

Espera-se que essa redução de custo seja capaz de incentivar micro, pequenas e médias empresas. Além disso, também há uma expectativa de que pessoas físicas possam inovar e desenvolver negócios na rede.

Sendo assim, a China larga na frente no que diz respeito ao desenvolvimento e popularização da tecnologia blockchain. Com essa abertura de caminho é bem possível que outros países também adotem a mesma conduta.

E você, o que acha dessa inovação? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia com seus amigos nas redes sociais!