Bitcoin: Crise na Argentina e Venezuela aumentam a procura!

Bitcoin: Crise na Argentina e Venezuela aumentam a procura!

Bitcoin – Nos últimos anos acompanhamos uma situação realmente preocupante em alguns países da América Latina, com destaque para Argentina e Venezuela.

Por incrível que pareça, a política econômica adotada em ambos os países é completamente oposta uma da outra. Isso porque a Venezuela possui um governo de extrema esquerda, enquanto a Argentina está sendo governada por um neoliberal.

Entretanto, em ambos os casos a inflação, o desemprego e um cenário econômico nada favorável toma conta de ambos os países. Na Venezuela a situação é ainda pior. Em agosto do ano passado o país registrou uma inflação de 2.000.000% dois milhões por centro.

Desse modo a moeda local tornou-se absolutamente inútil. Muitos venezuelanos começaram a deixar o país, enquanto outros encontraram no Bitcoin uma saída para se proteger da crise.

Leia também – O Bitcoin assim como os Patinetes elétricos está apenas começando!

O Bitcoin tornou-se uma solução para países em crise

Como a criptomoeda é descentralizada e não pode ser controlada pelo governo, tanto a população da Argentina quanto a população da Venezuela aumentaram a procura pelo Bitcoin nos últimos meses.

Essa foi uma maneira que a população encontrou de proteger as suas reservas financeiras contra a inflação. O resultado disso foi um aumento considerável na cotação da criptomoeda que valorizou-se bastante no decorrer desse ano.

Um ponto que chamou a atenção para o fato é que as criptomoedas estão se mostrando como solução para os problemas macroeconômicos enfrentados pelos países. Inflação, oscilação no câmbio podem ser facilmente resolvidos através das criptomoedas.

Elas também mostram-se como excelentes alternativas contra governos autoritários e imprudentes como os citados acima. E podem, dessa maneira proteger o patrimônio da população diante de uma crise interna.

Conforme pudemos observar investir em Bitcoin é uma excelente alternativa contra a crise. Afinal, independente se o país está passando por uma inflação ou problema no câmbio, a criptomoeda não sofrerá essa interferência.