Criptomoedas ganham código próprio no Imposto de renda

Criptomoedas ganham código próprio no Imposto de renda

Declarar criptomoedas no Imposto de Renda (IRPF) pode ser uma tarefa complicada para os marinheiros de primeira viagem.

A dificuldade surge, primeiramente, da falta de código e modelo específicos para declarar essa classe de ativos.

Contudo, esse problema foi resolvido. Por meio de uma coletiva realizada hoje (24), a Receita Federal anunciou três códigos para declarar criptomoedas.

Receita Federal sana dúvidas dos contribuintes

Segundo a coletiva, os criptoativos já eram declarados por meio do código 99 dentro de “Bens e Direitos”.

Os novos códigos estarão ainda dentro da mesma divisão, mas agora se dividirão em três categorias:

“Código 81: criptoativo Bitcoin 0 BTC;

Código 82: outro criptoativos, do tipo moeda digital, conhecidos como altcoins;

Código 89: demais criptoativos, aqueles não considerados criptomoedas.”

Durante a coletiva, os códigos 82 e 89 ganharam exemplos. No caso do código 82, são criptomoedas como XRP, Ethereum, USDT e Chainlink.

Já no caso do código 89 são os tokens, sejam eles security tokens ou utility tokens. Para quem tem B2U Coin, por exemplo, o código a ser utilizado para declarar é o 89.

Com isso, uma das principais dúvidas envolvendo a declaração de criptomoedas à Receita Federal foi sanada.

Diversas críticas já eram feitas ao órgão ao longo dos anos, tendo em vista a cobrança por parte da Receita para declarar os criptoativos, mas a falta de suporte quando o assunto era declarar.

Possivelmente por conta da popularização das criptomoedas ocorrida entre 2020 e 2021, a Receita Federal resolveu dar mais atenção ao tema.

E já era hora. Muito esforço será poupado com essa nova decisão do Leão.

Quer saber se você precisa declarar seus criptoativos ou se a exchange já faz isso por você? Fique atento ao nosso blog e em nossas redes sociais. Na próxima semana, iremos trazer mais conteúdos sobre o assunto e tirar todas suas dúvidas.