Coronavírus faz preço do petróleo cair e do bitcoin disparar

Coronavírus faz preço do petróleo cair e do bitcoin disparar

Enquanto o valor do preço do petróleo despencou por conta do coronavírus, o bitcoin sofreu efeito reverso e viu seu preço disparar.

No mês de janeiro deste ano, os contratos futuros do petróleo fecharam em uma forte queda. Para se ter uma ideia, o brent e o WTI fecharam em “bear market” que é um termo usado para representar quedas de um ativo superiores a 20% comparado ao pico recente.

Desse modo, o brent para abril fechou em queda de 3,83%, cotado a US$ 54,45 por barril. Isso representa uma perda acumulada de aproximadamente 20,98% em relação ao pico atingido no dia 06 de janeiro, onde o valor chegou a US$ 68,91.

O WTI fechou em queda de 2,81% para março, cotado a US$ 50,11 o preço do barril. Isso representa uma perda acumulada de 20,79% em relação ao pico alcançado no mesmo dia do brent.

A queda foi ocasionada principalmente pelo coronavírus

A principal causa da queda do valor do barril do petróleo é relacionada ao temor dos produtores sobre possíveis cortes na demanda ocasionado pelo coronavírus.

Sendo assim, há rumores de que os países produtores de petróleo acabarão entrando em um acordo para diminuir a produção. O principal objetivo de reduzir a produção é equalizar a curva da oferta e demanda e segurar o preço do barril.

A queda se dá pelo fato da China, um dos países que mais importa petróleo no mundo, diminuir a demanda. Isso aconteceu por conta das proibições de viagens aéreas, navios e carros dentro do país.

Além disso, também fecharam fábricas e cidades, o que colaborou para a diminuição do consumo. Embora o corte da produção tenha por propósito segurar o preço do barril, ainda não se sabe a extensão da doença, e até onde ela pode chegar, o que fará se necessário for, os países produtores a realizarem mais cortes.

Enquanto o preço do petróleo cai, o do Bitcoin cresce

Na contramão do petróleo, o bitcoin viu seu preço disparar no mês de janeiro, valorizando-se em 26%. Isso acontece porque em tempos de crise global, a criptomoeda é considerada pelos investidores um ativo seguro.

Por ser descentralizada, ela é protegida contra qualquer tipo de inflação ou decisão governamental que possa ocasionar ainda mais impacto no mundo. Por isso, investidores preferem essa migração.

Então é bom ficar atento, pois enquanto o surto de coronavírus não passa, o investimento em bitcoin pode ser uma excelente alternativa para driblar a crise. Gostou desse artigo? Deixe o seu comentário e compartilhe-o nas redes sociais.