Como evitar, e se proteger de golpes com criptomoedas.

como-evitar-e-se-proteger-de-golpes-com-criptomoedas

Como evitar, e se proteger de golpes com criptomoedas.

7 golpes com criptomoedas: saiba como evitar e como se proteger

Saber como evitar golpes com criptomoedas é um dos primeiros passos a ser tomado antes de investir. Abaixo listamos diversas dicas para você se blindar e as formas mais comuns de fraudes para você não cair em nenhuma delas.

Como evitar golpes com criptomoedas?

1 – Escolha da corretora

Caso você precisar de uma corretora para te orientar em seus investimentos, verifique se ela é de confiança ou se, por trás de um website moderno e bem estruturado, não existe um hacker querendo atrair o seu dinheiro.

Com o intuito de se blindar, sempre opte por corretoras que ofereçam informações de segurança e esteja disponível para tirar dúvidas dos clientes. Bem como, verifique se a companhia oferece garantia para os investidores em caso de calote ou falência.

Pesquise o histórico da corretora, cheque se ela está registrada em órgãos reguladores, tal como a CVM – Comissão de Valores Mobiliários. Além de procurar conhecer a reputação da companhia por meio de outros usuários e reviews, observe se há reclamações.

2 – Ferramentas de segurança

A fim de evitar golpes com criptomoedas, é muito importante se valer de todas as formas de segurança para se proteger, portanto não abra mão dos seguintes quesitos:

Certificações

É muito importante que o website da companhia possua certificações de segurança reconhecidas. Resumidamente, as certificações de segurança são protocolos de criptografia que não permitem que terceiros “leiam” os seus dados de acesso e informações de sua conta. Conheça abaixo quais alguns tipos de certificação:

  • Domain Validade (DV SSL);
  • Organization Validate (OV SSL);
  • Extended Validation (EV SSL), essa mais indicada para sites de comércio eletrônico;
  • Wildcard;
  • Mult-Domain Certificate.

Para saber se um site utiliza certificação de segurança cheque:

  • Se há o ícone do cadeado ao lado esquerdo da barra de endereço;
  • Se há a exibição da palavra “seguro” na cor verde ao lado esquerdo da barra de endereço. Isso indica a validação de informações da empresa como razão social, CNPJ e endereço.

Caso tenha dúvidas se o site da sua corretora usa certificação de segurança você pode pesquisar na internet por sites que fazem esse tipo de verificação, como, por exemplo, o SSL Checker.

Autentificação

Igualmente relevantes, são os processos de autenticação que são feitos na hora do cadastro no site da corretora. É recomendável que você siga todos os passos sem pular nenhum, isso vai garantir que um hacker não intercepte sua conta online, em outras palavras, o mecanismo verifica se a pessoa que está tentando acessar uma determinada conta é mesmo o dono dela.

Aplicativos

As carteiras digitais nada mais são do que um aplicativo usado para você guardar suas criptomoedas, de tal forma que devem ser tão seguras quanto à sua corretora. Desse modo, fique atento para o fato de serem criptografadas para impedir o acesso ao seu saldo e senhas por terceiros.

Sempre procure aplicativos que tenha boas referências e reviews, pois carteiras falsas são anunciadas em lojas de aplicativos, app store, e, uma vez que você enviar suas criptomoedas para uma dessas, pronto, elas já estarão roubadas.

Backups

Ter em mãos documentos que comprovam que você é o dono de suas criptomoedas é de suma importância. Além de ter cópias em pendrives e em HD, tenha também cópias físicas. Imprima os documentos em caso de perda e danificação de pendrive ou outros dispositivos, assim você estará mais protegido contra ataques de hackers. E lembre-se, faça backups semanais da sua carteira digital.

Resguarde-se documentalmente: tenha em mãos todos os documentos comprovem sua relação com o negócio, tais como cópia de contratos, comprovantes de transferências, comprovantes de saldos existentes, cópia de comunicações realizadas com a empresa e etc. Enfim, todo e qualquer documento que possa ser utilizado no futuro para comprovar a legalidade de suas criptomoedas.

Tipos de Golpes

1 – Pescadores de informações

Mais conhecidos como phishing, esse tipo de cibercrime é realizado por meio do envio de uma mensagem aparentemente oficial que pede seus dados e você, sem saber da malícia do arquivo, entrega de bandeja suas informações ao criminoso, portanto, saiba como evitar esse golpe com criptomoedas.

O phishing pode vir, por exemplo, em forma de um formulário para você preencher com seus dados em troca de informações de segurança. Ou como um e-mail aparentemente enviado pela empresa que desenvolve sua carteira, pedindo para que você confirme sua senha.

Da mesma forma, desconfie se você receber de sua corretora algum tipo de contato que tenha um formato diferente do que a empresa está acostumada a enviar. Em caso de dúvida, entre em contato com a corretora para verificar se ela realmente enviou determinadas informações.

Em síntese, nunca aceite ajuda ou obtenha informações de estranhos, somente da empresa que você contratou e mesmo assim, desconfie, pois é muito fácil copiar o design de um site ou e-mail. E o mais importante, não clique em nada sem ter certeza de que é um link seguro.

Nunca compartilhe suas informações

Não compartilhar informações é outra medida primordial para evitar golpes com criptomoedas. Caso você busque informações na internet nunca divulgue informações sobre sua carteira de investimentos ou sobre a quantidade de criptomoedas que você possui, isso pode chamar a atenção de possíveis golpistas.

3 – Pirâmide ou esquema Ponzi

Um golpe antigo, mas que continua sendo praticado é o da pirâmide que, basicamente, é um investimento com promessa de rendimento atrativo, maior que os oferecidos pelo mercado.

Para que o ‘negócio’ funcione um investidor inicial chama outros que vão sustentar o ganho daqueles que estão no topo. No entanto, como o retorno do investimento da pessoa que entra depende da entrada de outras pessoas para o negócio, o esquema não se sustenta.

No caso de pirâmides com criptomoedas os criminosos criam um website para anunciar uma moeda digital falsa e passam a chamar pessoas para investir. As primeiras pessoas que entram na pirâmide em seguida dos golpistas, precisam trazer mais vítimas para, dessa maneira, poderem lucrar e assim por diante.

Geralmente, para entrar no esquema, é necessário desembolsar uma pequena taxa, e é assim que quem está no topo da pirâmide consegue lucrar. Em casos de pirâmides com cadastro gratuito o intuito pode não ser o seu dinheiro, mas sim, seus dados pessoais para roubas suas criptomoedas.

Como identificar uma pirâmide? Conheça suas características a fim de evitá-las.

  • Promessa de retorno de investimento rápido e alto;
  • Garantia de retorno do investimento, o que não é possível, pois sem conhecer bem um investimento a chance de retorno é praticamente zero;
  • Falta de clareza por parte da empresa sobre a criptomoeda;

Como se prevenir?

Fique atento a esse sinal: Descumprimento de prazos acordados. É muito comum que antes do golpe final, ou quando o esquema já não estiver mais se sustentando, a empresa comece a atrasar pagamentos com a desculpa de falhas técnicas em seus sistemas. Fique atento a isso.

Se por acaso, você decidir entrar em um esquema de pirâmide, saiba que a prática viola a lei e está prevista pelo Código Penal sob o artigo 171 como crime contra a economia popular.

4 – Clubes de investimento

Esse golpe busca pessoas com pouco conhecimento em criptomoedas e que queiram investir para ganhar dinheiro de forma rápida e fácil. Para isso é preciso se cadastrar no “clube”, escolher a criptomoeda em que deseja investir e mandar o dinheiro.

A promessa é de que os lucros sejam divididos, no entanto, se o clube não for verdadeiro você jamais receberá a sua parte.

A dica aqui é a mesma das corretoras, se decidir investir obtenha o máximo de informações possíveis a respeito da procedência do grupo e os resultados que participantes anteriores alcançaram.

5 – Novas criptomoedas “revolucionárias”

Quando o Bitcoin surgiu poucas pessoas acreditaram que um dia poderiam ganhar dinheiro com ela, mas o tempo provou o contrário de tal forma que muita gente lucrou e ainda lucra.

Desse mesmo modo, pessoas mal intencionadas podem usar o argumento ‘Bitcoin’ para atrair investidores para uma nova criptomoeda, à exemplo do caso OneCoin.

Apesar de seus representantes até hoje defenderem sua lisura, a criptomoeda nunca foi registrada no Coin Market Cap, um respeitado site de capitalização de moedas digitais.

Como evitar golpes com criptomoedas falsas ou saber se a moeda tem futuro? Primeiramente peça o whitepaper, o qual explica seu funcionamento e definições técnicas. Em seguida, verifique se está cadastrada em sites de capitalização confiáveis.

6. Initial Coin Offering

Outra modalidade de golpe com criptomoeda está ligada a uma Initial Coin Offering – ICO. É como se fosse uma IPO (Initial Public Offering), porém ocorre no mercado das moedas digitais, ou seja, precisam de uma plataforma Blockchain, como a Ethereum,  que suporte a criação e emissão de tokens.

No caso de uma ICO nenhuma ação é oferecida, como em uma IPO, por exemplo. O que se oferece é a promessa de que a nova criptomoeda venha a se valorizar, e isso só é possível com o dinheiro levantado pelos administradores por meio de investidores que acreditam na valorização futura da criptomoeda.

Até aí tudo bem, mas o problema é quando a empresa que publica o ICO não é verdadeira. E o perigo disso é que a organização geralmente se parece verdadeira, tendo um website inclusive um whitepaper para ganhar credibilidade.

A recomendação nesse caso é: se você sentir vontade de investir em uma ICO, faça um investimento baixo, pois se o token não for verdadeiro o prejuízo será menor.

7 – Pump e Dump

Como muita gente sabe as criptomoedas podem ser instáveis, assim como as ações. Em vista disso, algumas pessoas criam manobras para manipular o preço de uma determinada moeda digital e vendê-la por um preço alto ou comprar com preço baixo.

A fim de entender com mais clareza sobre como esse scam é aplicado, veja a seguir o significados dessas palavras e como evitar esses golpes.

Pump

É uma palavra de origem inglesa, que significa ‘bombear’. E tem esse nome pois o objetivo do golpe é inflar o preço de uma nova falsa criptomoeda que pode até estar cadastrada em sites de capitalização, para ganhar credibilidade, mas que após o golpe projeto é abandonado e você fica com moedas que não possuem valor algum.

Funciona dessa forma: um grupo de pessoas mal intencionadas compra muitas unidades da nova moeda digital, por um preço baixíssimo, geralmente por apenas um centavo cada.

Após isso, começam um trabalho de divulgação massiva de notícias falsas em torno de fóruns e outros canais de comunicação para investidores incentivando-os a comprar a nova moeda sob o pretexto de que o preço vai aumentar.

Investidores desavisados e precipitados acabam comprando achando que estão fazendo um bom negócio. Dessa forma, os golpistas que compraram a moeda a um centavo lucram muito mais com base em pura especulação.

Dump

Essa também é uma palavra de origem inglesa que significa ‘jogar fora’. Essa prática tem a mesma dinâmica do bump, só que ao contrário. Nesse caso, quando golpistas querem comprar uma determinada criptomoeda eles inventam notícias sobre a queda de seu preço fazendo com que elas sejam vendidas por um valor baixo.

Infelizmente, o mundo está cheio de golpistas, por isso é importante sempre verificar informações em site oficiais e sempre buscar mais de uma fonte de confiança.

Caiu num golpe? E Agora?

Caso isso ocorra não se desespere. Existem meios legais que podem te tirar dessa.

Primeiramente, seja ágil. Tome providências rapidamente para aumentar as chances de você resgatar, pelo menos, parte de seu patrimônio e punir os responsáveis. Acreditar que não é possível reverter a situação é um erro e só beneficia os estelionatários.

Ao perceber que você caiu ou vai cair num golpe, o melhor a fazer é procurar quem entende do assunto, portanto uma assessoria jurídica especializada é o caminho. Existem muitos dispositivos jurídicos que podem e devem ser acionados para evitar a fuga dos golpistas e o consequente desvio de patrimônio. A justiça pode suspender passaportes, bloquear contas bancárias, penhorar bens e entrar com ações que permitirão o ressarcimento das vítimas.

E lembre-se: quanto mais rápido você agir, mais eficaz será a ação da justiça. Sendo assim, nunca de o caso como perdido, vá à luta e procure seus direitos!